CNPI: o certificado que habilita analistas de investimentos

Você provavelmente já buscou recomendações de investimento ou leu relatórios de análise divulgados por bancos, corretoras e casas de research. Por trás do estudo criterioso que orienta milhões de investidores e gestores Brasil afora, há um analista de valores mobiliários. A habilitação para exercer essa profissão tão relevante no mercado financeiro passa pelo Certificado Nacional do Profissional de Investimentos (CNPI).

O analista CNPI é o profissional responsável por elaborar relatórios de análise destinados à publicação, divulgação ou distribuição a terceiros. Para obter o certificado, é preciso fazer os exames aplicados pela Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec).

No Brasil, a Apimec é a entidade responsável pela fiscalização e organização do programa de certificação do CNPI. Já os exames, sobre os quais vamos falar na sequência, são aplicados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Quer investir na carreira e ser um analista de valores mobiliários CNPI? Então continue a leitura deste artigo!


O que é CNPI?

O CNPI é o certificado que comprova a qualificação técnica necessária dos profissionais analistas que atuam nos mercados financeiro e de capitais no Brasil.

O certificado é dividido em três categorias:

  • CNPI para o analista fundamentalista;
  • CNPI-T para o analista técnico;
  • CNPI-P para o analista pleno (fundamentalista e técnico).

Para obter o CNPI, o profissional deve ser aprovado nos seguintes exames (todos com duas horas de duração e 60 questões de múltipla escolha):

  • Exame CB – Conteúdo Brasileiro: fase comum para o analista fundamentalista, técnico e para o analista pleno;
  • Exame CT1 – Conteúdo Técnico 1: fase destinada ao analista técnico;
  • Exame CG1 – Conteúdo Global 1: fase destinada ao analista fundamentalista.

O profissional aprovado no CB e no CG1 é certificado com o CNPI, destinado aos profissionais que exercem somente a atividade de analista fundamentalista.

O profissional aprovado no CB e no CT1 é certificado com o CNPI-T, destinado aos profissionais que exercem somente a atividade de analista técnico.

O profissional aprovado no CB, no CG1 e no CT1 é certificado com o CNPI-P, destinado aos profissionais que exercem a atividade de analista pleno (fundamentalista e/ou técnico).


Qual a diferença entre o analista CNPI, CNPI-T e CNPI-P?

 Existem três tipos de analista – CNPI, CNPI-T e CNPI-P – e cada um tem funções específicas. Confira a seguir!

Analista técnico: responsável por fazer o estudo gráfico e análise do histórico dos preços para realizar as projeções para o futuro.

Analista fundamentalista: responsável por fazer o estudo de precificação de uma empresa, calculando o quanto essa empresa pode valer no futuro e trazendo a valor presente.

Analista pleno: profissional apto para exercer tanto as atividades do analista técnico quanto as do analista fundamentalista. Um analista pleno, por dominar as duas áreas de atuação, tende a ter salários mais atrativos.

 

Veja também:

 

 

Um analista de valores mobiliários certificado pode atuar em cargos como analista de research, analista de corretora, Relações com Investidores (RI), analista autônomo, analista para gestor de fundos e analista de instituições financeiras.

 

Ficou em interessado em obter o CNPI? Então saiba mais informações sobre o programa de certificação no site da Apimec e se prepare para o exame na Eu me banco! Em breve iremos lançar um curso preparatório para CNPI em nossa plataforma de ensino. No canal Eu me banco, no YouTube já temos uma série de vídeos com dicas e correções de questões dos exames CB, CT1 e CG1. Acesse agora e bons estudos!

_

 

*Crédito: Freepik/DCStudio.

Here can be your custom HTML or Shortcode

This will close in 20 seconds

Open chat